A Escrita Japonesa

Gostaríamos de ressaltar que esta página, em nenhum momento substitui um professor de verdade. Caso queria aprender de fato, recomendamos que procure um profissional.

Hiragana

O Hiragana começou a surgir no século VIII, época de florescimento da literatura japonesa, quando se destacaram várias mulheres no campo da poesia.

Dizem que foram as mulheres que simplificaram a escrita, tendendo a um tipo de escrita mais cursiva e eliminando certos traços, a fim de facilitar o ensino da escrita às crianças. Por sua forma simples e plana se chamou Hiragana.

Atualmente o Hiragana é usado para escrever partículas, para palavras para as quais não existe kanji (ou este exista, mas seja muito raro), usado para escrever a pronunciação literal de um kanji, caso se espere que o receptor não o conheça (neste caso chama-se furigana), sufixos e prefixos necessários para a declinação e conjugação de palavras.

- Para enfatizar o som de um caractere (semelhante a um acento na língua portuguesa) usa-se um pequeno “tsu”, com ¼ do tamanho dos caracteres normais, após o caractere.

- Para ‘alongar’ o som de algum caractere, coloca-se o correspondente à linha pertencente. Ou, no caso dos caracteres da linha “E” e “O”, pode se usar os caracteres “I” e “U”, respectivamente, sendo que neste caso, o som dos caracteres “I” e “U” são levemente pronunciados.

- Além dos caracteres normais, existem ainda sons derivados, como são os das colunas "K", "S", "T" e "H", quando seguidos de "tenten" (um ´´ depois do caractere), transformando-se em "G", "Z", "D" e "B" respectivamente, ou seguido de um "maru" (um º depois do caractere) no caso da coluna "H", que se transforma em "P".

- Também existem os sons conjugados, que são a transcrição de um caractere da linha "I" com outro em tamanho reduzido para indicar conjugação, pertencente à coluna "Y". Neste caso, geralmente o caractere da coluna “Y” tem ¼ do tamanho dos caracteres normais.

Por exemplo, para transcrever o som "RYU" colocamos o Hiragana "RI" seguido de um pequeno Hiragana "YU".

Katakana

O Katakana é empregado para transcrever nomes ocidentais, palavras de origem estrangeira, onomatopéia, para destacar uma palavra em meio a uma frase / frase em meio a um texto, etc.

O Katakana inicialmente foi desenvolvido para a transcrição de mantras budistas. Na época, era tudo escrito em Kanji e, para facilitar a leitura, foi se desenvolvendo o Katakana.

É comum dizer que o Hiragana se formou por evolução e o Katakana por abreviação.

Se observarmos bem, podemos ver que os caracteres em katakana correspondem a partes de kanjis ou até mesmo kanjis inteiros. Por isso é dito que, comparado ao hiragana, o Katakana é mais retilíneo e anguloso.

Já o Hiragana se trata de formas mais simples de Kanjis, que foram se tornando mais curvilíneas e emendadas ao longo do tempo.

O Katakana segue as regras do hiragana, somado a mais algumas em particular:

- Para a pronúncia de palavras com a letra “V”, usa-se um “U” com “tenten” somado a um pequeno “A”, “I”, “E” ou “O”, ou apenas o “U”, no caso da silaba “VU”.

- Para a letra “W”, com exceção das letras “WA” e “WO”, usa-se o mesmo que para a letra “V”.

- Para a transcrição de palavras com “FA”, “FE”, “FI”, ou “FO” se usa o caractere “FU” seguido de um “A”, “I”, “E”, ou “O” com ¼ do tamanho normal.

Ex: Fernando à usa-se o caractere “FU” seguido de um pequeno “E”, ficando FU-E-RU-NA-N-DO.

- Em katakana se representa uma vogal extensa a partir de um traço largo chamado chōon (ー na escrita horizontal, | na escrita vertical).

Se a palavra é japonesa, também pode-se formar as extensões de forma análoga a como se faz em hiragana:

Exemplos:

  • ミスター (misutaa, mister)
  • スーパーマーケット (suupaamaaketto, do inglês supermarket, supermercado)
  • ショーイチ ou então ショウイチ (Shōichi, apesar de que se normalmente se escreveria em kanji ou hiragana).

Kanji

O kanji não é um alfabeto silábico como hiragana ou katakana, e sim ideográfico., pois cada kanji representa uma idéia ou conceito.

Existe um conjunto básico de kanjis chamado Jouyou Kanji, que são os 1945 mais freqüentes e que seriam de conhecimento indispensável.

Os kanjis foram inseridos no Japão através dos chineses, e por sua própria origem chinesa, os kanjis podem ser lidos de duas formas diferentes: a leitura on-yomi, que é a chinesa e nos dicionários aparece como letras maiúsculas e a leitura kun-yomi, que seria a japonesa q aparece como letras minúsculas.

Roomaji

O roomaji é a representação de palavras japonesas no alfabeto ocidental. Por exemplo, Brasil em japonês seria ブラジル, em roomaji seria burajiru.

Roomaji significa letra de Roma (Rooma = Roma, Ji = letra)

A romanização é importante para que as placas de rua sejam legíveis para os visitantes estrangeiros, para transcrição de nomes e para dicionários e livros didáticos para os estudantes da língua.

Existem diferentes sistemas de romanização, sendo que as principais são três: o sistema Hepburn, o Kunrei-shiki (ISO 3602) e o Nihon-shiki (ISO 3602 estrito). Sistemas variantes do Hepburn são as que estão em maior uso.

Todos os japoneses que estudaram na escola fundamental depois da Segunda Grande Guerra foram ensinados a ler e a escrever em roomaji, o japonês romanizado. A romanização é o método mais comum de se inserir palavras japonesas no computador e em processadores de texto.

Particularidades da Gramática

Os substantivos não variam quanto ao número, grau e gênero. O plural de certas palavras se forma acrescentando-lhe um sufixo.

Ex: Watashi = eu. Watashitachi = nós

O verbo vem geralmente no final da sentença. Ex: Watashi wa burajirujin desu.

Não ocorre flexão verbal da pessoa.

Existem somente dois tempos verbais: presente e passado. O verbo no presente pode se referir a uma ação habitual ou ao futuro. O passado equivale ao nosso pretérito perfeito. Os outros tempos verbais são indicados no contexto.

Os adjetivos flexionam para indicar presente e passado, afirmativo e negativo.

A função gramatical das palavras é indicada por partículas que aparecem sempre depois delas.

Formação das frases

As orações simples (com um verbo somente) são formadas colocando-se o verbo no fim da frase, e o sujeito no começo.
Compare a ordem da oração "Eu vou para a escola" em Japonês e Português

> Ordem em português:
Eu vou para a escola.

> Ordem em japonês:
"Eu Escola Para Vou."
Watashi wa Gakko E Ikimasu.
*As cores representam a ordem das palavras*

É por isso que o pessoal fala que Japonês é tudo do contrário!!!!

Pronúncia

A pronúncia em Japonês assemelha-se a da língua portuguesa, com as seguintes exceções:

>H
Aspirado como em inglês
Hajime (rradjime) – começo

>Ji, Ja,Je, Ju
Dj...
Jin (djin) – pessoa

>Chi, ti
Tchi
Ichi (itchi) – um

>Cho
Tyo
Cho (tyo) - borboleta

>Cha
Tya
Ocha (otya) – chá

>...su
...ss
Desu (dess) – verbo ser

>L
Não existe
Em nomes estrangeiros substituir por r...

>Sho
Shio
Shonen (shionen) –ano novo

>Sha
Shia
Shatsu (shiatsu) – camisa

>Kk, tt, pp
….k, …t, …p
Intervalo antes de pronunciar as sílabas com k, t, p. – gakko (ga....ko) -escola

>Gi, ge
Gui, gue
Okage (okague) – sente-se

>Sa, se, shi, so, su (em japonês, não existe “si”)
Ssa, ssê, sshi, ssô, ssu
Kudasai (pedir polidamente), sumimasen (desculpe-me, como licença)

Sites que ensinam a língua japonesa:

Otaku Project:

http://op.xisde.net/

Notícias do Brasil:

http://www.noticiasdobrasil.com.br/lingua.htm

Comunidade Aprender Japonês:

http://www.orkut.com/CommTopics.aspx?cmm=181277

Comunidade Estudantes da Língua Japonesa:

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=926326

Comunidade Língua Japonesa:

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=6039029

Informações mais detalhadas:

http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_Japonesa

http://pt.wikipedia.org/wiki/Kanji

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hiragana

http://pt.wikipedia.org/wiki/Katakana

http://pt.wikipedia.org/wiki/Romaji